Idioma

domingo, 22 de outubro de 2017

Diga-me quem tu amas, que EU te direi quem tu és.

Boa noite!

"Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí."  (Jeremias 31 : 3)

Acredito que o título da meditação explica com propriedade o que somos ou no que nos tornamos no decorrer de nossa vida.

Se amamos nossos pais, por exemplo, podemos ser reconhecidos como bons filhos, se amamos nosso cônjuge podemos ser reconhecidos como um casal, se amamos nosso partido político podemos ser reconhecidos como grandes partidários, se amamos nosso time de futebol podemos ser identificados como um grande gremista ou colorado, se amamos o dinheiro podemos ser reconhecidos como ambiciosos, se amamos nosso trabalho podemos ser identificados como um profissional exemplar, se amamos nossa cultura podemos ser reconhecidos como tradicionalista, e assim por diante.

E este amor que falo reporta-se a um sentimento e vontade que nos move e que nos impulsiona a fazer de tudo por "aquele amor".

Mas agora te pergunto: se tu encontras um amor acima do "teu", o que isso geraria em ti?

E você (e eu) sabemos que ESSE amor existe, correto? É verdade que ele não é crido por muitos, seja pela circunstância que for, mas ele consegue se sobressair sobre toda e qualquer outra forma de amor existente. E isto não é para nos entristecer, no sentido de nos menosprezar pelas formas de "amor" que nos encontramos e vivemos, mas sim para nos trazer luz e entendimento sobre todas as outras formas de "amor" que sentimos e conhecemos e principalmente de conhecer esta tão grande expressão de amor, tão grande força e tão grande "tudo".

Não deixe ninguém colocar um "balde de água fria" em você sobre ESSE sentimento de Deus pela tua vida, Ele é real e está a sua (nossa) disposição ainda hoje, nada mudou quanto a isso. Apenas deixe que Cristo te mostre a Verdade e a Vida sobre você e sobre tudo o que você até então conhece. Não esqueça que Ele enviou o Espírito Santo para nos guiar a toda a verdade e esta Verdade está contida no Amor e na Vida de Jesus, o Cristo, o filho do Deus Altíssimo.

"E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja."  (João 17 : 26)

"Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos."  (I João 4 : 9)

"E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele."  (I João 4 : 16)

"Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor."  (João 15 : 9)

Diga-me, quem tu amas e quem ti ama?

Abraços!
NunoAbruzzi

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Lotamos lugares ou estamos cheios?

Boa noite!

"E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus."  (Efésios 3 : 19)

Sinceramente, não tenho números e dados, a respeito do crescimento (ou redução) de pessoas que professem a fé cristã em nossos dias, no que diz respeito ao crescimento do Corpo de Cristo nesta terra, mas isto é um tema interessante (e sempre "polêmico").

Hoje, existem muitas igrejas, as quais, algumas delas já são antigas em nosso território e outras, acabam surgindo ou sendo criadas, e nisso sempre está a condição de haver pessoas, as quais participam e servem nestes locais.

E para muitos, sinônimo de "poder", "transformação" ou "presença de deus" está atrelado a massa ou volume, ou seja, ao número de pessoas que estão participando daquele lugar.

A conversão de multidões é bíblica, é só lermos Os Evangelhos e Atos dos Apóstolos por exemplo, para nos nortearmos de que isso realmente ocorre pela manifestação do Espírito de Deus. Mas isto não é uma regra exclusiva para representar o verdadeiro Corpo de Cristo num determinado lugar ou para uma determinada região geográfica.

As igrejas, não sei ao certo o nº, estão lotadas mas não estão cheias!

Cristo quer que eu e você sejamos cheios, Dele, do Seu Espírito, para que possamos dar frutos e alcançarmos a plenitude citada em Efésios. Imagina você (e eu), encontramos em nossa vida uma plenitude do amor de Deus? Não há como explicar... Mas é esta a vontade do Pai.

A comunhão é importante quando para o crescimento do Corpo (crescimento espiritual, não especificamente "populacional") mas o fundamental é o crescimento pessoal com Deus, pois mesmo sendo individual não temos como não sermos coletivos pois a primícia do Evangelho é Amar a Deus sobre todas as coisas E o próximo como a ti mesmo. Então, a individualidade é importante para que a coletividade seja forte, viva e EFICAZ.

A comunhão com Deus é fundamental para a comunhão com as outras pessoas, porque a primeira, sem qualquer atravessador, nos fará entender o valor de Deus, o nosso valor e o valor do outro, sem contar as outras inúmeras situações que o próprio criador tem a revelar.

"1 João 1:6-7 Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado."

Seja cheio amado(a).
Busque a Deus.
Não O tema, Ele o ama.
E agradecemos a Ele tudo o que ainda está ao nosso alcance nestes dias, principalmente a Sua Presença e a Sua Graça.

Abraços!
NunoAbruzzi

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Puro como criança, pequeno como mostarda.

Boa noite!

"E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus."  (Mateus 18 : 3)

Nossa vida com Deus começa sempre de uma forma: conversão!

Convertendo nossos maus caminhos diante do Caminho do Senhor. Convertendo nosso mau pensamento diante do correto pensamento do Senhor. Convertendo nossa língua diante da perfeita instrução do Senhor. Convertendo nosso modo de conhecimento diante da sabedoria do Senhor. Convertendo nossas paixões diante do Amor de Deus. Convertendo nosso coração de pedra por um coração de carne. Convertendo nossos medos diante da eficácia da Palavra de Deus.

Mas tudo isso parte de um ponto: reconhecer de que somos pequenos. E ser pequeno não quer dizer ser menor, inferior, mas ser humilde e buscar um coração puro como de uma criança.

E sinceramente, isto não é o padrão exigido hoje (e porque não dizer desde a queda) em muitos e por muitos (entenda muitos como pessoas, lugares, grupos, correntes, vertentes, etc.), por isso que O Reino de Deus é comparado a um grão de mostarda, para entendermos que ainda que pequenos, nossa herança é muito maior do que qualquer outra coisa existente e sabível por qualquer um de nós. Deus não erra, Deus não mente e Deus não falha.

" (Marcos 4:30-32) E dizia: A que assemelharemos o reino de Deus? ou com que parábola o representaremos? É como um grão de mostarda, que, quando se semeia na terra, é a menor de todas as sementes que há na terra; Mas, tendo sido semeado, cresce; e faz-se a maior de todas as hortaliças, e cria grandes ramos, de tal maneira que as aves do céu podem aninhar-se debaixo da sua sombra. "

Abraços!
NunoAbruzzi

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

A verdadeira CRISE

Boa noite!

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?  Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações. Jeremias 17:9-10

Vivemos dias de crise, concorda? Mas me diga, quais foram os dias desde o início do pecado que não contemplam crises?

Existem várias vertentes de crises,  a crise econômica, a educacional, a familiar, a “mundial”, a existencial, a emocional, a conjugal, a "religiosa", a política, a social, enfim, podemos enumerar várias outras formas, as quais ainda hoje assolam nações, sociedades, famílias e pessoas.

E quando falamos em alguma delas, seja qual for, normalmente nos deparamos com o “pré-conceito” de que a mesma é culpa de uma forma de comportamento, ou caráter, ou assistência, ou entendimento, etc., e nisto, medito eu, coloca sempre a razão da crise numa situação envolvendo atitudes oriundas de quem está “metida” na determinada situação, seja considerada a mola propulsora ou apenas uma parte ou conseqüência dela.

Mas sabe de uma coisa? A crise na verdade, está contida dentro daquilo que a cria.

E quem cria ou quem criam?
Sou eu e você.

As crises, nada mais são, do que uma clara representação do que o homem é. E quando digo homem, falo do ser humano.

Se a crise é evidenciada pela corrupção é porque o homem se tornou corrupto, mau. Se emocional, é porque o homem se esqueceu do valor que possui. Se social, é porque o homem virou-se contra o seu próximo. Se familiar, é porque o homem esqueceu do conceito de família e sua importância (própria e do outro), etc.

Então entendo que a ou as crise(s) são porque o homem não reconhece o pecado e por esse fato de que é pecador mesmo, não reconhece a sua essência e não acredita num detalhe muito importante: ame ao teu próximo como a você mesmo (Lucas 10:27).

Não adianta fugir. Enquanto não reconhecermos que “uma” Palavra já foi lançada e por ela daremos conta de tudo, não haverá fim das “temidas” crises.

E que bom não podermos fugir de Deus. Se tem alguém interessado na vida de toda e qualquer pessoa, este alguém é o Senhor.

Abraços!

NunoAbruzzi

domingo, 24 de setembro de 2017

As Boas Novas

Boa tarde!

"Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé."  (Romanos 1 : 17)

Deus se revela por meio de Sua Palavra, e nela está o Evangelho que significa As Boas Novas. Ele, Evangelho, está descrito especificamente nos 4 primeiros livros do Novo Testamento, em Mateus, Marcos, Lucas e João, porque narram especificamente a Obra e Redenção vivida por Deus, por meio de Cristo, o próprio Deus.

Assim sendo, o Evangelho não é uma doutrina de uma igreja, não é uma filosofia, não é uma teoria cristã, mas acima de qualquer coisa que possamos pensar, trata-se do próprio Senhor narrando, vivendo e consumando a Sua Vontade, o Seu plano e o Seu Amor para toda a criatura existente na face desta terra.

Mas não esqueça do ingrediente necessário para viver o Evangelho: a fé. E ela não é algo que nasce espontaneamente de nosso ser, mas é um dom que Deus nos dá, mediante a entrega de nosso "coração".

Abraços!
NunoAbruzzi

sábado, 23 de setembro de 2017

Tolice ou burrice? O que prefere?

Boa noite!

"Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele."  (Provérbios 29 : 20)

Há uma grande questão: qual o tempo pra tudo? A palavra de Deus nos orienta que existe um tempo para todas as coisas, mas como nos portamos diante disto?

O Evangelho hoje, acredito, está sendo mais difundido no mundo, mas como ele está sendo e de que forma está? Não há Evangelho sem que haja o anúncio das Boas Novas do Reino de Deus, mas isto muitas vezes se confunde com a nossa forma de anunciar e o modo também.

Existem inúmeros ensinos no Evangelho dando conta de que nossa boca carece cuidado, assim como nosso coração, nossa mente e nosso meditar.

A Palavra está cheia de instruções, cabe a cada um de nós buscarmos nela e no seu Escritor, a forma correta para lançarmos a mesma aos corações de muitos. E vejam bem, há uma forma correta, tenham certeza disto.

"Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir."  (João 16 : 13) "Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar."  (João 16 : 14)

Abraços!
NunoAbruzzi

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Respire fundo

Boa noite!

"Ora o Senhor encaminhe os vossos corações no amor de Deus, e na paciência de Cristo."  (II Tessalonicenses 3 : 5)

Ser paciente não quer dizer que você é omisso ou devagar demais, mas lembre-se que pode ser uma grande arma de Deus em sua (minha) vida.

Imagine Cristo, o próprio Senhor, quando teve que aguentar as inúmeras situações que viveu até chegar no ápice de sua obra, ou seja, na Cruz. Você acredita que Ele foi a melhor expressão de paciência que temos? De esperar o tempo certo para que tudo fosse cumprido?

Eu acredito nisso!

E acredito quando o Espírito Santo, na vida de Paulo, na carta ao Romanos, disse que a paciência produz experiência e esta última produz esperança (Romanos Capitulo 5).

Respire fundo e creia.

Deus não erra o alvo.

Abraços!
NunoAbruzzi